sábado, 2 de julho de 2011

Cadeia e Teia alimentar

O alimento produzido pelos autótrofos é utilizado por eles e pelos organismos heterótrofos.
O processo mais importante de produção de matéria orgânica a partir da inorgânica é a fotossíntese, no qual a energia luminosa captada pelo autótrofo é transformada em energia química, que fica armazenada nas moléculas orgânicas.

O processo mais importante de liberação da energia contida nos alimentos orgânicos é a respiração aeróbica. Através dela, a molécula orgânica, em presença de oxigênio, é totalmente degradada em gás carbônico e água.

Um indivíduo autótrofo degrada, através da respiração, matéria orgânica produzida por ele mesmo.

Um indivíduo heterótrofo degrada a matéria orgânica produzida direta (quando herbívoro) ou indiretamente (quando carnívoro) por um autótrofo.

Nos ecossistemas, a energia química contida na matéria orgânica que faz parte do corpo do produtor pode ser transferida para os demais seres vivos ao longo de uma cadeia em que um ser vivo serve de alimento para o outro.

CADEIA ALIMENTAR


Sequência de organismos que indica a passagem de alimento e energia entre eles.

O conjunto de todos os organismos de um ecossistema com o mesmo tipo de nutrição constitui um nível trófico.






TEIA ALIMENTAR

Várias cadeias que se interligam, formando uma  complexa rede de transferência de matéria e de energia.






Existem seres vivos com hábitos alimentares menos especializados, que podem ocupar mais de um nível trófico.
Onívoros (omnis = tudo): alimentam-se de plantas e de outros animais.
Necrófagos: alimentam-se de cadáveres

Os decompositores ocupam o último nível trófico. Formam um grupo muito especial, nutrindo-se de elementos mortos provenientes de diferentes níveis tróficos, remineralizando tanto produtores como consumidores.

Exemplos de Cadeia Alimentar




Fonte:
Bio: volume 1 / Sônia Lopes; Sergio Rosso - 1ed. - São Paulo: Saraiva. 2010.









Nenhum comentário:

Postar um comentário